Dia Mundial da Alergia

July 08, 2020

Dia Mundial da Alergia

A 8 de julho assinala-se o Dia Mundial da Alergia, uma iniciativa conjunta da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da World Allergy Organization (WAO) para sensibilizar para a importância de diagnosticar e tratar as doenças alérgicas que são cada vez mais comuns.

Neste artigo, falamos do conceito de alergia, da sua frequência, causas e sintomas.


O que é a alergia?

Uma alergia é um distúrbio do sistema imunitário que ocorre quando as defesas naturais do organismo reagem de forma exagerada à exposição a uma determinada substância (alergénio) que é normalmente inofensiva (para não alérgicos), tratando-a como invasora. Essa reação produz substâncias químicas para atacar o invasor, causando uma reação inflamatória local ou sintomas generalizados. (1, 2)


As alergias são comuns? O que as causa?

As doenças alérgicas são muito frequentes e têm aumentado nos últimos 20 a 30 anos, afetando cerca de 1 em cada 4 pessoas nos países desenvolvidos. Estas incluem variadas condições que podem ser causadas por diferentes tipos alergénios: alimentos, medicamentos, látex, produtos químicos, insetos, pólen, etc.

Cerca de 1-5% da população global tem alergias alimentares. Mais de 120 alimentos podem causar alergias alimentares, mas os alimentos que causam as reações alérgicas graves mais comuns são o leite, o ovo, o amendoim, os frutos de casca rija, os cereais (principalmente trigo), a soja, o peixe e o marisco. (2)


As reações alérgicas

A alergia afeta todo o organismo, podendo surgir sintomas na pele e nos sistemas respiratório, digestivo e até cardiovascular. A gravidade dos sintomas pode ser muito variável, desde muito leves, que podem passar despercebidos, a reações incapacitantes ou com risco de vida e até a morte.

De um modo geral, podem ocorrer dois tipos principais de reações alérgicas:
a) imediatas, ocorrem em menos de 2 horas após a exposição ao alergénio, sendo mediada por um anticorpo chamado imunoglobulina E (IgE), sendo normalmente mais graves e de maior risco;
b) tardias, ocorrem em 24 a 48h após a exposição, envolvem outros mecanismos do sistema imunitário de atuação mais lenta, sendo mais difíceis de diagnosticar e de identificar o(s) alergénio(s) que lhes dão origem. (2)


Quais os sintomas de alergia?

Os sintomas causados pela alergia podem ser considerados mecanismos de defesa para proteger nosso organismo dos alérgenos, que são vistos como um agressor pelo sistema imunitário. Os sintomas também atuam como um alarme, alertando-nos que algo está errado. Mas esses mecanismos de defesa podem se tornar prejudiciais para o próprio corpo.

Alguns dos sintomas mais frequentes associados a distúrbios alérgicos são os seguintes:
- na pele e/ou mucosas: vermelhidão, comichão, inchaço, descamação da pele, borbulhas;
- nas vias respiratórias: tosse, espirros, congestão nasal, ruído a respirar, pressão no peito, dificuldade respiratória, dificuldade em engolir;
- no sistema gastrintestinal: dor abdominal, náuseas, vómitos, diarreia, sangue ou muco nas fezes;
- no sistema cardiovascular: dor de cabeça, tonturas, baixa de tensão arterial, desmaio. (2, 3)


Uma pessoa pode ter várias alergias?

Um conceito que está intimamente relacionado à alergia é a atopia. Atopia é a tendência de um indivíduo desenvolver múltiplas doenças alérgicas em simultâneo ou ao longo da vida.

É frequente também ocorrer reatividade cruzada entre alergénios. Por exemplo, pessoas com alergia com alergia ao pólen ou ao látex podem frequentemente apresentar sintomas alérgicos quando comem certas frutas, vegetais ou frutos secos. Essa reatividade cruzada ocorre porque o pólen e o látex contêm proteínas semelhantes às proteínas nos alimentos, e o sistema imunológico pode reagir a ambos. Cerca de 70% das alergias alimentares estão relacionadas à alergia ao pólen. (2)


Sabia que os produtos Fidu são isentos dos 14 principais alergénios, responsáveis pela maioria das alergias alimentares? Não manipulamos nas nossas instalações nenhum ingrediente que possa estar contaminado com estes alergénios, garantindo, dessa forma, que não ocorrem contaminações cruzadas por vestígios. Por isso, os nossos produtos são seguros até para os mais sensíveis.
Venha conhecer os nossos produtos!


NOTA IMPORTANTE: O conteúdo desde artigo é meramente informativo. Nenhum dos sintomas mencionados é exclusivo da alergia. Qualquer um deles pode ser causado por outras condições. Caso suspeite de que sofre de algum tipo de alergia deverá procurar aconselhamento médico.

---

(1) ACAAI (2014). Food Allergy. American College of Allergy, Asthma & Immunology. Disponível em: https://acaai.org/allergies/types/food-allergy
(2) EAACI (2018). On Allergy. European Academy of Allergy and Clinical Immunology. Disponível em: https://patients.eaaci.org/
(3) Grupo de Interesse de Alergia a Alimentos da SPAIC, 2019. Alergia Alimentar: conceitos e conselhos e precauções, 2ª Edição. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica com apoio da Thermo Fisher Scientific e Laboratórios BIAL.


EN